Bem-vindo a Dessa Consult, como podemos lhe ajudar?
img-gerenciavel
  1. você está em: Dessa social Sobre o Projeto de Iniciação Científica na rede municipal de Holambra

Sobre o Projeto de Iniciação Científica na rede municipal de Holambra

Empresa de Holambra realiza projeto de iniciação cientifica para alunos do município

Crianças desenvolvem habilidades sociais, de pesquisa e pensamento crítico

Noemi Almeida

Jornal da Cidade de Holambra, dezembro de 2019

Educar não é fácil. É por isso que toda a comunidade deve estar envolvida quando o assunto é a educação de nossas crianças. Pensando nisso, a Dessa Consult – empresa de Holambra que realiza pesquisas e consultorias agronômicas – elaborou um projeto de iniciação científica para professoras e alunos do município em parceria com a prefeitura. A ação, testada com 8 turmas (160 alunos) e continuada com a turma do Período Integral da professora Simone em 2018

, deu certo e em 2019 continuou desenvolvendo nas crianças do quarto ano da professora Josiane da Escola Jardim das Primaveras, habilidades sociais, de pesquisa e pensamento crítico. A iniciativa, que começou um novo ciclo em 2020,  precisa de maior envolvimento das empresas e dos moradores de Holambra. Conheça o projeto que mudou a vida de algumas das crianças do município e que pode abrir portas para o futuro da educação.

“Tudo começou quando passei a observar e pensar no comportamento dos meus próprios filhos”, conta Anne-Marie Van Logchem, idealizadora do projeto. “A curiosidade e a vontade de aprender das crianças, numa idade em que elas absorvem tudo que lhes interessam são a combinação perfeita para que elas se tornem grandes pesquisadores”, explica a empresária. “E por que não as ajudar nisso?” Foi a partir dessa questão que o projeto começou ser planejado pela equipe da Dessa Consult, a partir das ferramentas de pesquisa como livros, revistas, sites, entrevistas e apoio pedagógico da equipe da Escola São Paulo e seus alunos voluntários. Apresentado e aprovado pela Educação de Holambra, o projeto teve início em 2018 com o auxílio de voluntários e professores que foram capacitados para aplicar uma transformada metodologia de ensino, baseado na curiosidade, participação ativa dos alunos, brincadeiras e comportamento infantil.

A professora Josiane Lanzoni, responsável pelo 4

 º ano da escola Jardim das Primaveras, relata como foi a experiência com o projeto de iniciação científica e que mudanças que ele trouxe para a turma em 2019: “Foi o meu primeiro ano com a turma no projeto, e lá fizemos várias ações que trabalham a sequência didática no letramento. Introduzimos a interpretação de textos por meio da Árvore de Livros, trabalhamos a expressão corporal na aula de teatro e demos autonomia aos alunos usando atividades de liderança em grupo”, explica a professora. “Me senti muito feliz porque também pude dar minhas ideias e as colocar em prática”, complementa. De acordo com Josiane esse método de pesquisa que também é adotado nas universidades melhorou muito a produtividade das crianças. “Eu, como professora, também usei muitas coisas que aprendi na educação infantil”.

Em depoimento dado à professora os pais dos alunos Emily Souza, Gabriel e Pietro de Oliveira também falaram da evolução das crianças em casa. “Os irmãos do Pietro ficaram surpresos com o enorme trabalho que ele desenvolveu na pesquisa sobre jogos, sem contar que ele melhorou muito na leitura e na escrita”. Josuel Nogueira, pai da aluna Manuela de Wit Nogueira, afirmou: “Dou super apoio para que o projeto, pois notei que a mina filha ficou muito feliz”. Para afirmar o desejo de continuar com os trabalhos, toda a turma preparou uma carta aberta ao diretor de educação de Holambra, Alexandre Moreira. Ele pôde ver de perto o que os alunos fizeram e o resultado da pesquisa de cada um.  “Empresas como a Dessa Consult que são amigas da educação são fundamentais pra desenvolver projetos incríveis como este que fizeram uma transformação com relação a busca de conhecimento, disciplina e qualidade nas atividades”, afirma o diretor de educação.

Novas parcerias

A partir das boas experiências do projeto mais empresas se interessaram em ajudar. A Casa Bela é uma delas. O restaurante sediou um encontro no oitavo dia de intervenção dos alunos, que colocaram em pauta o Conhecer Melhor Holambra. Conheceram como funciona o restaurante, recepção de produtos e a cozinha e puderam encenar os diferentes papeis necessários para deixar funcionar bem um restaurante. Eles fizeram também uma visita aos comércios centrais, arrecadaram livros e produziram um mapa da cidade além de um diário de bordo dos lugares em que foram. As crianças já estão se preparando para as novas atividades e já têm em mente o que querem pesquisar:

“Quero ser advogada e gostaria de entender mais do assunto” -Manuela de Wit;

“Vou continuar pesquisando sobre animais, como a girafa” - Raissa Santos Araújo;

“Tenho interesse muito grande de saber como é a vida das focas” – Gabriel Expedito;

“Gosto de ajudar a cuidar de cachorros abandonados. Amo pesquisar sobre esse assunto e isso me faz perder o medo” - Helena Harumi Iizuka;

“Amo ir à biblioteca e fazer diários de bordo” – Pietro de Oliveira;

“Quero pesquisar sobre o peixe engolidor negro, um animal que vive na profundeza abissal” – Gabriel Leme Fernandes;

Acho girafas legais e quero entender mais sobre elas” – Gustavo Henrique;

“Amei estudar sobre cachorros e quero continuar aprendendo sobre as raças” – Pablo Miguel da Silva;

“Quero entender sobre os tubarões e as suas mordidas” – Pedro Henrique;

“Vou pesquisar sobre carros, quero saber como o Gol funciona, que é o carro do meu pai” – Nícolas dos Santos;

“Aprendi que amo fazer boas ações e quero me dedicar a campanha de doação de livros” – Yasmim Nunes;

“Quero continuar pesquisando sobre animais pequenos como a centopeia” – Helena Beatriz Santos Silva;

“Neste ano quero fazer mais cartazes e levar nas lojas para a arrecadação de livros” – Mirela Batista dos Santos;

“Quero continuar estudando sobre jogos como o MInecraft” – Sabrina Vitória Chaves;

“Quero estudar sobre cachorros” – Emily Souza;

“Vou pesquisar mais sobre os dinossauros” – Maria Ariele Alves da Silva;

“Quero voltar a me sentir como uma verdadeira cientista” – Juciele Rosa Ribeiro.

“Nós, da Dessa Consult, ficamos felizes com as parcerias, a abertura dada pela prefeitura e com os resultados. Continuamos buscando novos parceiros; empresas que gostariam de abrir suas portas para que as professoras e os alunos participantes do Projeto de Iniciação Científica possam preparar e executar pesquisas em suas dependências”, comenta Anne-Marie. Na Dessa, por exemplo, as crianças fizeram diagnóstico de saúde de plantas concedidas por produtores da região, apoiadores do projeto. Também aprenderam a fazer arranjos após demonstração e explicações pelo Jan Willem Boon da Tulipa Decor, empresa responsável pela decoração da mostra de flores na Expoflora. O apoio dos alunos da Escola São Paulo dentro das salas de aula também foi muito bom, bem como a ajuda pedagógica da equipe da mesma escola. Toda ajuda é bem-vinda. Para saber mais sobre o projeto e se envolver basta ligar para o telefone/ Whatsapp (19) 99855-9151 e falar com a Anne.

 

Texto para reflexão, um dos pilares do Projeto de Iniciação Científica na rede municipal de Holambra:

 

Pressupostos para praticar a homologia dos processos docência-formação

 

Rosaura Soligo

 

Crianças e adultos são da mesma natureza – são da natureza humana.

Crianças e adultos não gostam de imposições autoritárias, mesmo que disfarçadas, tampouco de obedecer passivamente a ordens externas ou trabalhar por coerção.

Crianças e adultos preferem fazer suas próprias escolhas mesmo que não sejam as mais vantajosas.

Crianças e adultos resistem a propostas sem objetivo e a funcionar ‘no automático’, tendo que submeter-se a situações que não lhes fazem sentido – desejo e disponibilidade para aprender são essenciais.

Crianças e adultos não se cansam facilmente do que tem função, propósito e sentido. Crianças e adultos querem ser bem-sucedidos – o fracasso inibe, destrói o entusiasmo, desanima, desencanta.

Crianças e adultos não gostam de ser controlados e receber sanções, ainda mais publicamente.

O conhecimento não é construído a partir do estudo de regras e prescrições, mas a partir da experiência de aprendizagem – estudar primeiro é colocar o carro na frente dos bois.

Ouvir explicações e observar demonstrações não são as únicas vias para aprender, e nem as melhores: a experiência e o trabalho são essenciais.

A memória torna-se importante quando está vinculada à experiência.

A inteligência não é um processo específico que funciona como um circuito fechado, independente de tudo o mais.

A convivência, ainda mais em processos educativos, pressupõe cooperação.

Os castigos são ineficazes – são paliativos, humilham e dificilmente garantem o que se pretende.

Nas situações de aprendizagem, quanto menos o professor/formador falar, tanto melhor.

É preciso garantir um lugar de autoria para educadores e alunos – é um erro colocá-los no anonimato, na invisibilidade.

Propostas autoritárias, mesmo que disfarçadas, não formam pessoas que terão apreço pela democracia e pela liberdade de pensar.

É urgente superar os métodos expositivos ineficazes da velha escola, tanto na docência quanto na formação.

É preciso ter esperança otimista na vida. Sempre!

 

Texto produzido por Rosaura Soligo

a partir das Invariantes da Pedagogia Freinet

(registradas por professores do Movimento Freinet nos Anos 60). Célestin Freinet (1896-1966)